palavbras andantes é uma rede de poesia composta por editores, poetas e tradutores – todos, leitores. somos dois idiomas, quinze países, vinte e quatro editores, mais de cem poetas.

cofundadores érica casado, pedro rocha, sergio cohn e teresa arijón

editorial e tradução érica casado, sergio cohn y teresa arijón

editores locais

argentina teresa arijón | brasil érica casado, pedro rocha y sergio cohn | chile hector hernandes montecinos| colômbia érica casado , con consejo editorial de henry alexander gomez, iván hernández y jerónimo pizarro | costa rica luis chaves y paula piedra| cuba marcelo lotufo, oscar cruz y josé ramón sánchez leyva | equador cristóbal zapata | guatemala alan mills| méxico iván garcía lópes | paraguai cinthia martínez y giselle caputo | peru andrea cabel y bruno pollack| portugal maria joão cantinho| uruguai martín barea mattos| venezuela luís delgado arria

Érica Casado co-fundadora e tradutora PA

Érica é co-fundadora da Editora Transmedia, Antropóloga. Especialista em desenho narrativo e antropológic, a Editacuja é reconhecida como uma das startups mais promissoras no mundo pelo Global Edtech Awards 2015. Com o Appiario, foi reconhecida pelo MIT Massachusetts Institute of Technology TR35, como uma das  dez iniciativas tecnológicas mais inovadoras de 2014, no Brasil. Suas iniciativas também foram destacadas, na América Latina, pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) – por suas metodologias híbridas para a educação, e pelo Ministerio TIC, da Colômbia, com o prêmio de Movilización Nacional Social Digital, categoria Paz, pela realização do PeaceHackCamp que conectou makers spaces de dezesseis países do mundo à população local, principalmente, agricultores e profissionais de turismo. A Editacuja também publica, em papel, poesia.  Érica também desenvolve, independentemente, a pesquisa airetista Diccionario Vivo, experiência etnográfica transmidial. É co-editora e tradutora da Palavbras Andantes.

Sergio Cohn – co-editor e tradutor PA

Sergio nasceu em São Paulo e vive desde 2000 no Rio de Janeiro. Criador da revista Azougue (2001) e das editoras Azougue Editorial (Brasil) e  Oca (Portugal), com um catálogo de nomes consagrados como Plínio Marcos, Jorge Mautner e Rogério Sganzerla ao lado de redescobertas como o cineasta Fernando Coni Campos, o poeta e dramaturgo Celso Luis Paulini, a grande Stela do Patrocínio, ainda Ronaldo Bressane, Antonio Prata e Ericson Pires. Organizou livros de Hélio Oiticica, Roberto Piva, também publicado em Portugal, Torquato Neto e Gary Snyder, entre outros. Poeta, é autor de “Lábio dos Afogados” (1999), “Horizonte de eventos” (2002) “O sonhador insone” (2006) e ‘Um contraprograma” (2016), entre outros. Traduziu os livros “A nova visão – de Blake aos Beats”, de Michael McClure (Azougue, 2004), “Re-habitar – poemas e ensaios”, de Gary Snyder (Azougue, 2004, em parceria com Luci Colin), “Etnopoesia no milênio”, de Jerome Rothenberg (Azougue, 2005, em parceria com Luci Colin), entre outros, além de Jorge Guíllén, Rafael Alberti, César Vallejo, Hugo Mayo, Octavio Paz e Juan Carlos Galeano. Co-editor e tradutor da Palavbras Andantes.

Teresa Arijón – co-fundadora e tradutora PA

Teresa publicou oito livros de poemas, uma obra de teatro, um experimento trágico, três compilações, entre outros. Traduziu Clarice Lispector, Ana Cristina Cesar, Daniel Defoe, Ivy Compton-Burnett, Virginia Woolf, Mia Couto, Fernando Pessoa, Hilda Hilst, Rubem Fonseca, Waly Salomão, Hélio Oiticica, Ferreira Gullar. Co-dirige a editora pato-en-la-cara e a coleção Nomadismos. Foi escritora residente em IWP (Iowa, EUA). Recebeu o Prêmio Poesía del Fondo Nacional de las Artes e o Prêmio Konex, por sua trajetória  como tradutora. Seus poemas foram traduzidos para o inglês, português, malaio e holandês. Editou várias antologias, entre elas Puentes-Pontes( 2003): primeira antologia bilingüe de poetas argentinos e brasileiros contemporâneos traduzida por poetas ; Teoría del cielo (biografemas de artistas e escritores latinoamericanos, com Arturo Carrera), e Panamericana (2018), com Bárbara Belloc e Silvia Ortiz Guerra, com mais de 100 poetas dos 35 países do continente americano. Co-editora e tradutora da Palavbras Andantes.